Mãos ao ar

Blogue de discussão desportiva. Qualquer semelhança entre este blogue e uma fonte de informação credível é pura coincidência e não foi minimamente prevista pelos seus autores. Desde já nos penitenciamos se, acidentalmente, relatarmos uma informação com um fundo de verdade. Não era, nem é, nossa intenção.

terça-feira, março 21, 2006

O Segundo Álbum

Diz-se dos grupos musicais que o segundo álbum é o decisivo, aquele que separa o trigo do joio. À partida, qualquer intérprete de pandeireta ou engolidor de sabres pode fazer um bom álbum. O primeiro é, por definição, aquele que teve mais tempo de concepção. Já o segundo distingue quem tem estaleca para continuar a criar e quem inevitavelmente fica pelo caminho e regressa à Tuna. Ou, no caso do Sancho, ao rancho folclórico de Sarnadas de Ródão.
Creio que a mesma lógica vale para o futebol. A primeira época sénior de um futebolista não costuma ser difícil. O público acarinha o "miúdo", os colegas perdoam-lhe a falta de tino, os adversários não lhe conhecem as manhas, nem as fraquezas. A segunda época, em contrapartida, é mais exigente: a fasquia está alta, a margem de erro é mais escassa. A rede desapareceu e quem cai só pára no solo.
Hugo Viana, por exemplo, teve estreia de luxo em 2001/2002. Entrou numa equipa bem oleada, integrou-se facilmente. Era (com Quaresma) o menino bonito, apadrinhado pelos colegas e adeptos, pelo treinador e pela crítica - sim, não nos esqueçamos do papel criativo ou destruidor dos (des)fazedores de craques. Saiu no Verão para Newcastle e, como as rosas de Malherbes, perdeu o viço de um dia para o outro. Na segunda época, pesou-lhe o ónus de ter sido uma contratação cara, que tinha de decidir jogos. Ao menino exigiu-se que fosse homem. E Viana falhou o teste.
João Moutinho está a entrar na derradeira recta da sua segunda época de profissional. Julgo que é legítimo dizer que já passou o teste. O pequenino é um gigante. Titular indiscutível, marca golos e caiu no goto de colegas e críticos. Custou, mas "A Bola" já acha que Moutinho é material de eleição, e João Querido Manha até já refez a teoria de que, com miúdos, não se ganham campeonatos (ver aqui). O número 28 do Sporting é como uma banda de dois álbuns consecutivos de sucesso.
Analisemos agora Manuel Fernandes. Para efeitos comparativos (e também porque me dá jeito para chegar a uma conclusão parcial. E ainda porque não tenho pudor em manipular abertamente factos e estatísticas), para efeitos comparativos, dizia eu, ignoro os dez jogos disputados pelo Manelelé em 2003/2004, sob as ordens de Camacho. Na época passada, ele fez um óptimo campeonato. Quando fraquejou, lesionado, o Benfica tremeu (perdeu em Penafiel e ganhou à justa ao Belenenses). Foi, sem favor, um dos gigantes da temporada. Ele, o cotovelo do Luisão e o apito do Paraty!
Este ano, Manuel Fernandes tem sido mais irregular. Demorou a ganhar a titularidade, perdida para Beto (!?!). Quando jogou, não impressionou. Que me lembre - e aqui, desculpar-me-ão, mas, nos jogos do Benfica, eu costumo seguir essencialmente a movimentação do árbitros e não dos jogadores -, fez dois jogos notáveis: em Villareal (que golo!) e em Liverpool.
Antes da chuva de pedras que a intifada encarnada inevitavelmente lançará sobre o autor destas linhas, permitam-me que diga que a prestação me parece escassa de mais para quem nele viu potencial para ser o novo isto, ou o novo aquilo. A percepção até pode vir ainda a ser alterada, mas, até ver, o Manelelé vale tanto como um álbum lamechas dos DZRT (blargh!) ou uma ladainha choramingas do João Pedro Pais (duplo blargh!). O que, parecendo que não, é bastante degradante.

28 Comments:

At quarta-feira, 22 março, 2006, Anonymous Anónimodisse...

Só dizes merda. O Manel Fern. é crack. Aqui, em Itália ou na China. Por aki se vê que não percebes nada de bola.

 
At quarta-feira, 22 março, 2006, Blogger Bulhão Patodisse...

É uma maneira de apreciar a coisa. É boa! Não me tinha lembrado.

 
At quarta-feira, 22 março, 2006, Anonymous Pibermandisse...

O Bulhão, por acaso era o unico jogador da colectividade do recreativo da Luz que gostava de ver de Verde e Branco!

 
At quarta-feira, 22 março, 2006, Blogger Bulhão Patodisse...

Piberman. Por três vezes, fiz treinos de captação na secção de basquetebol do Sporting. Por três vezes, fui excluído e voltei, com o rabo entre as pernas, para o Borges Coutinho. Vinguei-me mais tarde: ganhei-lhes uma final regional. Mas fiquei com vómitos durante uma semana.

 
At quarta-feira, 22 março, 2006, Anonymous João Sportingdisse...

Foda-se Bulhão Pato!!
Como é que foste capaz?? Sabes qd os putos descobrem que o Pai Natal e o Super Homem não existem e têm uma grande desilusão? Aconteceu-me agora!!
Não deixas de ter muita piada mas o encanto perdeu-se!
Sporting Sempre!!

 
At quarta-feira, 22 março, 2006, Anonymous Pibermandisse...

Eu, hoje com 26 anos, joguei Basket na Associação Desportiva de Oeiras (escalões de formação) durante 8 anos.
Que me recorde joguei 4 vezes no antigo pavilhão da Luz, ganhei 2 vezes, perdi 1 e a outra o jogo durou 15 minutos até à confusão total.
Em Alvalade levei sempre porrada, só ganhamos uma vez numa final 4 regional (nós, Sporting, Queluz e o outro acho que ou o Alves Redol (para lá do sol posto de Vila Franca), ou Algés.

Devo dizer que as vitórias na Luz tinham um efeito tonificante.

 
At quarta-feira, 22 março, 2006, Blogger Sancho Urracodisse...

Subscrevo e assino por baixo o post do Bulhão. M. Fernandes é bom jogador, ninguém tem dúvidas, mas falta-lhe "aquilo" que o poderia levar para um estatuto superior - Moutinho, por sua vez, já está no pedestal dos craques.

P.S. Para que saibas,Bulhão, joguei várias vezes basquetebol pelo Sarnadas de Ródão, e foi sempre com muito prazer que encavámos o Benfica e Castelo Branco naqueles acesos derbies regionais. Não havia nada como ganhar no pavilhão da capital da Beira Baixa!

 
At quarta-feira, 22 março, 2006, Blogger Bulhão Patodisse...

Tenho algumas dúvidas. O basquetebol não foi inventado na última década do século XIX? Ora, se fiz bem as contas, a tua juventude foi contemporânea do Alexandre Herculano. Até se dizia na época, com graça, que se o Herculano te tivesse conhecido antes, teria escrito o Monge de Clíster…
Creio que a memória te pregou uma partida.
Não é raro que isso aconteça em pessoas com 185 anos.

 
At quarta-feira, 22 março, 2006, Blogger Sancho Urracodisse...

A falha de memória é tua. Sou contemporâneo, sim, do Alexandre Magno. Pelo menos tenho passado, e não sou um filho da geração DZR'T (arrgh) como tu

 
At quarta-feira, 22 março, 2006, Blogger Guitarristadisse...

Embora a analogia com o segundo álbum tenha graça, não é minimamente rigorosa. E o caso de Quaresma esta época é paradigmático - andou três anos a cantar à João Pedro Pais e agora sai-se com uma obra-prima. Concordo no que respeita a João Moutinho. Discordo em relação a Manuel Fernandes. Acho que farão uma grande dupla no meio-campo da selecção, daqui a quatro ou cinco anos. E o Manelelé ainda será o melhor centro-campista da Europa.

 
At quarta-feira, 22 março, 2006, Anonymous Juvenenodisse...

Concordo com o primeiro post. O Manuel Fernades é sobretudo um craque na China, e até se consta que já foi vendido ao Shuep Soy Futebol Clube durante a digressão que o Orelhas efectuou aquele país.

 
At quarta-feira, 22 março, 2006, Blogger Lars o Kirkdisse...

Este post, ou parte dele, já é recorrente. Se bem me recordo, há uns posts atrás, comentei levantando a hipótese que aqui re-afirmo:

- Ainda está por comprovar qual a diferença entre esta jovem promessa Manelele e uma outra chamada Ednilson, puto maravilha que, afinal, não era assim tão puto, nem tão maravilha...

Que é feito de Ednilson? Nunca mais ninguém o viu...

 
At quarta-feira, 22 março, 2006, Anonymous RRdisse...

Se o Benfica tivesse 1 Eur por cada jogador que "A Bola" considera o "novo Eusébio"; o "futuro melhor jogador do mundo", "uma estrela em ascensão" ou ainda "futura espinha dorsal da Selecção", o Orelhas não tinha de andar a roubar camiões para manter o Benfica à tona.

Ainda agora me lembrei de mais um: João Pereira!!!! De certeza que é o melhor lateral que Portugal viu nascer desde os anos 60... ou então não!

 
At quarta-feira, 22 março, 2006, Anonymous Ex-colega no Basquetebol do Benficadisse...

É impressão minha ou o João Moutinho não sabe o que é ser campeão?!... Já ganhou algo como sénior?...
Quais são os palcos da Europa que o Moutinho pisa??? Qual foi a prestação do Viana num campeonato a sério como o inglês???...
Quando o Quaresma saiu do Sporting para o Barça... o que é que ele fez?... Quantos jogos fez (lá vem a ladaínha do treinador que não gostava do Calimero!!!)?... Agora é de novo bom (o máior do Mundo, carago!!!) mas é num Porto pra consumo interno!...
O Manel Fernandes é Campeão e não se caga todo (ler a referência que Colhão Pato faz às prestações em Espanha e Inglaterra na Champions) em jogos a sério!
É só lembrar o Tiago, que saiu do Benfica e foi sempre utilizado no Chelsea... e agora é só fundamental na equipa do Lyon, que mostra um futebol e umas prestações que a tornam numa das melhores da Europa!!!
Que hoje o estádio caia e que fiquem lá todos debaixo!!!

 
At quarta-feira, 22 março, 2006, Blogger Lars o Kirkdisse...

Da Europa? ou até mesmo de Portugal...

 
At quarta-feira, 22 março, 2006, Blogger Insurrectodisse...

O Manel é DE LONGE melhor que o Moutinho... e o tempo o vai dizer.

Na semana passada vi pela 1ª vez o Moutinho ao vivo e não é mais do que um menino mimado que não aguenta uma carga... para este campeonato pode servir mas em campeonatos mais "rijos" não se safam....

Não acreditam?? Vão ver...

 
At quarta-feira, 22 março, 2006, Anonymous Conandisse...

exma.Sra. Lars o Kirk :
Venho por este meio informá-la que o Senhor Ednilson é jogador do clube grego OFI Crete FC.
Não percebo como a senhora quer-me ultrupassar na liga record e desconhece o paradeiro dos mais reputados futobolistas.
Bem hajam.

 
At quarta-feira, 22 março, 2006, Blogger Guitarristadisse...

Por partes: embora a comparação entre Ednilson e Manuel Fernandes seja disparatada, o certo é que me parece que o baixinho valia bem mais do que um lugar num obscuro clube grego. Depois, chamar João Pereira a esta conversa, equivale mais ou menos a considerar Tello tão fundamental no Sporting quanto o é João Moutinho.

Não acho que o Manuel Fernandes tenha provado o suficiente, para já. Da mesma forma que Moutinho, embora bem encaminhado, ainda não o fez. No entanto, não duvido do (muito) valor de qualquer dos dois. E acho que estão a subvalorizar a presente época do Fernandes. Começou mal mas, desde Janeiro, tem sido regularmente dos melhores do Benfica. E não falo só dos jogos "da Europa". Falo também dos de consumo próprio - para a Taça, com o Nacional, por exemplo, em que fez uma grande exibição (é só um exemplo, houve mais jogos em que esteve a este nível). É normal, porém, que o Manuel Fernandes não dê tanto nas vistas quanto o Moutinho. Vejamos: no Sporting, o pequeno João está rodeado por troncos que lidam com a bola da mesma maneira que eu lido com os baldes de massa - com esforço (exceptuemos o Liedson, obviamente). Já Manuel Fernandes é constantemente ofuscado por (por ordem crescente): Léo, Simão, Geovanni, Karagounis, Petit, Mantorras, Robert e Luisão - a alguns deles (i.e. Robert, Mantorras e Karagounis)basta-lhes fazer um pequeno malabarismo para terem 10 páginas de destaque na imprensa dos dias seguintes. Quer queiram, quer não, faz diferença. Já para não falar nos dias em que o Nuno Gomes faz um golo e merece largos destaques dos jornais em que se recuperam (e actualizam) os quadros com os totais de jogos, minutos e tentos que a Poderosa Amelinha regista no currículo.

 
At quarta-feira, 22 março, 2006, Blogger Insurrectodisse...

Quem falhou hoje o penalti???

MUAHHHHHHHH!

 
At quinta-feira, 23 março, 2006, Blogger n_sardasdisse...

os lamps é assim... qualquer um que faz um bom jogo... Selecção logo!!!

Qualquer dia estão a pedir a nacionalidade Portuguesa para o Beto, e um lugar para o mesmo na Selecção...

 
At quinta-feira, 23 março, 2006, Anonymous Helena Henriquesdisse...

Confesso, não dou um cêntimo pelas prosas da Bola e do Record, mas acho o post injusto com o Manuel Fernandes que, pode até não ter brilhado, mas trabalha. Bulhão, deixa um pouco o trio (deve ser secante segui-los o jogo todo, apesar de serem os protagonistas nestes jogos) e observa melhor o rapaz. Estou convencida que ele merece - ah e não te esqueças que o resto da equipa é muito casada/manca....são um bocado ... cepos

 
At quinta-feira, 23 março, 2006, Anonymous Helena Henriquesdisse...

Insurrecto, ninguém falhou penaltis, o Baia é que defendeu.

 
At quinta-feira, 23 março, 2006, Blogger Lars o Kirkdisse...

Os grandes jogadores também falham penalties. Veja-se o caso de Veloso na alegre final contra o PSV. Não é a melhor das comparações, bem sei, pois de grande o Veloso só terá mesmo a camisola que o filho enverga...

 
At quinta-feira, 23 março, 2006, Blogger Lars o Kirkdisse...

Helena Rodrigues,

Por favor, mostra-nos uma fotografia tua. Tenho a certeza que és perfeita

 
At quinta-feira, 23 março, 2006, Blogger Guitarristadisse...

O Veloso, de grande, tem também o currículo, Lars: uma final da Taça dos Campeões disputada e outra oferecida (ficou de fora da final, ams evitou que o Marselha fizesse o golo na Luz). E isto, parecendo pouco, é algo de que nenhum jogador sportinguista se pode orgulhar. Portanto, talvez a camisola do filho seja bem mais pequenina do que o currículo do Veloso. Isto sou só eu a dizer, mas eu sou suspeito e tendencioso...

 
At quinta-feira, 23 março, 2006, Blogger Joao SCPdisse...

Bulhão, inequivocamente tens o toque de midas ao contrário! Pensei que pudessem ser meras coincidências, mas não! Tu és, cada tiro, cada melro. Seja em jogos do benf.. (arrgh) seja a elogiar jogadores do Sporting (e bem) mas que falham um penalty decisivo! Proponho que não faças mais vaticínios e/ou elogios até final do Campeonato para bem do Barcelona na Champions e para bem do Sporting no campeonato.

 
At quinta-feira, 23 março, 2006, Blogger Bulhão Patodisse...

Houve alguma decência da tua parte, João. Durante o dia de hoje, o Sancho disse-me precisamente isso, mas acusou-me explicitamente de ter o toque de merd*: onde toco, transformo ouro em merd*.
Estarei calado daqui para a frente. Contrariado, mas calado.

 
At segunda-feira, 03 abril, 2006, Blogger Pepedisse...

Bulhão, quem fala é um sportinguista puro!!Mas é importante ser verdadeiro...o Manuel Fernandes é também um jogador com elevadas potencialidades.Daí a tornar-se um grande jogador vão uma série de cirscunstâncias funcionar como condicionantes. Aliás, tu como desportista(que já entendi seres ou teres sido), sabes bem que o potencial em bruto é algo que não identifica o futuro de um atleta. Existem n situações que o transformam durante o seu percurso e vão influenciar o seu trajecto. Claro que, como tu dizes, dois anos ao mais alto nivel sem "tombar" identificam estirpe de lutador e ambição de vencer(isso o Moutinho tem claramente), mas a vida é fértil em surpresas e por isso mesmo estas qualidades adicionais num atleta não lhe garantem um futuro prospero. Aí aplica-se sempre a máxima de um intelectual da nossa bola: Prognósticos só no fim do jogo ( neste caso, só no fim da carreira). Tendo ficado fã deste blog, cá voltarei..um abraço e saudações sportinguistas.

 

Enviar um comentário

<< Home