Mãos ao ar

Blogue de discussão desportiva. Qualquer semelhança entre este blogue e uma fonte de informação credível é pura coincidência e não foi minimamente prevista pelos seus autores. Desde já nos penitenciamos se, acidentalmente, relatarmos uma informação com um fundo de verdade. Não era, nem é, nossa intenção.

terça-feira, setembro 22, 2009

Carta aberta a Paulo Bento

Meu caro Bento,
És uma das mulas mais teimosas que já conheci. Isto é uma qualidade, atenção. Colocados na arena perante a ameaça do touro, há genericamente dois tipos de homem: o que perde o controlo do esfincter e treme como varas verdes e o que sente o sangue a gelar nas veias, mas arregaça as mangas e não se desvia um milímetro da besta. É por isso que há forcados que pegam o touro de caras e há outros que ficam para rabujadores. Toda a bancada reconhece que tu pertences ao primeiro grupo e o teu antecessor nem para o segundo servia.
Tens regras e códigos de conduta que cumpres escrupulosamente. Tens ideias e conceitos dos quais não abdicas. E tens uma filosofia que pode não ser popular, mas é coerente. Não tens porém aquilo que o Ângelo Correia definiu muito bem no “Sol” da semana passada: falta-te... mundo. Conheceres o mundo, saberes o que se faz noutras realidades e como se faz.
Teimas com a aposta na dupla Carriço-Polga desde Novembro do ano passado. Quanto mais a bancada protesta, mais tu fincas os pés na areia e marcas posição. É essa a dupla que te parece mais capaz e dela não abdicas nem que chovam picaretas. Já te chamámos todos os nomes e já te cuspimos, mas tu preferes quebrar a torcer.
Vou-te contar uma história. Em rigor, não fui eu que a inventei. Foi o Hemingway, que também percebia de touros, de whisky e de gajas (por esta ordem). Em “O Velho e O Mar”, há um pescador tão teimoso como tu. Chama-se Santiago e está em maré de azar. Nunca desiste, porém. Um dia, deita o anzol ao mar e captura o maior espadarte que já viu. O peixe morde, e puxa, e resiste. E o Santiago não larga a cana. O peixe puxa-o para o mar alto, quase afunda a embarcação. E o Santiago não larga a cana. Quer mostrar aos outros que tem fibra e convicções. Faz-te lembrar alguém?
O peixe enraivecido puxa o anzol. Leva o barco para o mar alto. As mãos do pescador já estão em sangue. O Sol inclemente queima-o. E o Santiago não larga a cana. Pelo caminho, aparecem tubarões. Rondam a presa. Debicam-na. E o Santiago não larga a cana. Com toda a força, puxa-a para terra, onde descobre que os tubarões lhe deixaram apenas a espinha do espadarte. Santiago ganhou a batalha da resolução, mas percebeu que há alturas em que é mais útil largar a cana.
Por amor de Zeus, desfaz a dupla defensiva. Senta o Polga ou o Carriço no banco ao teu lado. Coloca o Tonel em campo.
Larga a cana. Nunca levarás esse peixe intacto para terra.

19 Comments:

At terça-feira, 22 setembro, 2009, Blogger dandisse...

Isto é que é morrer na praia, esta carta. Uma bela carta com um final desastroso.. "Senta o Polga ou o Carriço no banco"!?
Tonel/Carriço a melhor dupla que temos (e complementam-se, ainda por cima). Não?

 
At terça-feira, 22 setembro, 2009, Blogger André A. Correiadisse...

Sim, o Tonel é que é... Mais um prego no caixão!

 
At terça-feira, 22 setembro, 2009, Blogger Visigordodisse...

Caro Bulhão, hoje, por obra do acaso, do acaso e desse estado de inércia em que entras após escrever cada post (nunca chegarás aos calcanhares do Pacheco Pereira a debitar tanto texto no seu Abrupto), deu-me para ir reler prosas antigas aqui do Mãos ao ar.
Pois bem, completam-se hoje quatro anos desde que brindaste o Mundo com essa pérola blogosférica que dá pelo nome de "A escala de Barbas". Parabéns por isso!

P.S. - Nem de propósito, os caracteres que me são pedidos para a verificação de palavras são "onfest"

 
At terça-feira, 22 setembro, 2009, Blogger Bulhão Patodisse...

Permitam-me que saia em minha defesa, o que é, para além de nobre, muito digno da minha parte. É fundamental dar ao Bento a noção de escolha. Se lhe disser que tem de tirar o Polga, ele não tira. Se lhe disser que pode escolher, pode ser que tire.

Isto vai lá. Devagarinho, mas vai. E depois de ele tirar o Polga, vou dizer-lhe que pode experimentar o Vukcevic como parceiro do Liedson. E que, quando está a perder, não tem de passar sempre o Veloso a lateral e o Moutinho a médio defensivo. Pode mandar subir o Carriço para a posição do Veloso. Mas isto tem de ser por degraus.

Visigordo, um abraço. Já nem me lembrava disso. Porém, segundo as novas regras do Diego, já não se pode escrever sobre o tema...

 
At terça-feira, 22 setembro, 2009, Blogger Diego Armésdisse...

Eu não fiz nada. Só vim cá ver a bola.

 
At terça-feira, 22 setembro, 2009, Blogger Leão de Alvaladedisse...

Depois dos foguetes atirados no post ainda apanhas as canas com "É fundamental dar ao Bento a noção de escolha. Se lhe disser que tem de tirar o Polga, ele não tira. Se lhe disser que pode escolher, pode ser que tire."

Assim para participar nesta festa só posso dizer uma coisa:

Tens a certeza da ordem das coisas no caso do Hemingway?

 
At terça-feira, 22 setembro, 2009, Blogger Bulhão Patodisse...

Espero que não esteja a ser sugerido que o Hemingway gostava de rabos peludos.

 
At terça-feira, 22 setembro, 2009, Blogger JNFdisse...

Bulhão (e demais sportinguistas),

expliquem-me só uma coisa: por que não Tonel e Caneira? O Tonel é o melhor defesa que vocês têm, e o Caneira é bom a central, não a lateral, onde seria comido tanto pelo Hulk como pelo Rodriguez.

 
At terça-feira, 22 setembro, 2009, Blogger Sancho Urracodisse...

Bom, admito que, potencialmente, o Polga é mais jogador que o Tonel, mas dado o fraquíssimo momento de forma do brasileiro, é da mais elementar justiça sentá-lo no banco e o lugar ser ocupado pelo Tonel.

Mas não se pode ser injusto, e existe algo que todos devem concordar: o Polga tem, pelo menos, uma coisa boa - a mulher.

 
At quarta-feira, 23 setembro, 2009, Anonymous Várzea do Tonel de Ventodisse...

Grande Sancho que julgava já enterrado e minado de larvas!... Bem lembrada a senhora Polga. Porque não sentá-la na bancada ao teu lado... e o marido no campo, ao lado do Tonel? Assim como assim, corresse a coisa mal ou bem, sempre era mais uma a assobiar e a achincalhar a defesa!
Dá-me impressão que o Paulo Bento tem de preparar o discurso da despedida para as Antas...
Há anos que não se via um Sporting tão fraco a defender.
Saudações.

 
At quarta-feira, 23 setembro, 2009, Blogger Visigordodisse...

Ele vive!!!

 
At quarta-feira, 23 setembro, 2009, Anonymous Eu acreditodisse...

A capa d'A Bola de hoje roça o fanatismo exarcebado daquela redacção encarnada.

 
At quarta-feira, 23 setembro, 2009, Blogger LionHeart (o autêntico)disse...

Acho que o Paulo Bento é mais como a besta de cornos do que como forcado.

Afinal, ele é toureado e lidado todas os fins de semana, e ainda assim...resiste e investe para mais um par de bandarilhas.

 
At quarta-feira, 23 setembro, 2009, Blogger António Pistadisse...

Enquanto PB estiver no comando técnico, vão vencer tantas provas de valia como as que conquistaram até agora, zero!

http://aguia-de-ouro.blogspot.com/

 
At quarta-feira, 23 setembro, 2009, Blogger fantasma do Óculodisse...

Eu não sou versado nas artes da pesca, mas deixem-me também pôr a minhoca de molho:

Gostava de ver Vukcevic ao lado de Liedson. E o Pereirinha na esquerda (enquanto não chega Izmailov). Pronto. Já está. E agora? Faço o quê? É só esperar ou tenho de chamar "-Peixe, peixe, peixe!"?

 
At quinta-feira, 24 setembro, 2009, Anonymous Pietradisse...

Parabéns Bulho pelo primeiro post que não escreves sobre o Benfica.
Parabéns Sancho por apareceres, já tinha saudades de azucrinar a tua cabecinha e dar algum descanso ao Bulho.

 
At quinta-feira, 24 setembro, 2009, Blogger francisdisse...

"Enquanto PB estiver no comando técnico, vão vencer tantas provas de valia como as que conquistaram até agora, zero!"

De valia, para ti é a Carlsberg ?

2 Taças de Portugal - 2006/07 e 2007/08 (Sporting)
2 Supertaças Cândido de Oliveira - 2006/07 e 2007/08 (Sporting)

Ao menos informa-te pá.

 
At quinta-feira, 24 setembro, 2009, Blogger Diego Armésdisse...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At quinta-feira, 24 setembro, 2009, Blogger Mindodisse...

Caro Bulhão, o fim dessa estória do Santiago deixa-me algo preocupado, porque se te lembras da obra o Hemingway, o Santiago tinha passado 85 dias sem apanhar nenhum peixe quando lhe apareceu o espadão...e depois de tudo o que se passou, no dia a seguir ele voltar ao mar em busca de peixe.

Faz-me lembrar o Albert Camus: "L'important c'est de bien faire son métier".

Com isto está tudo dito! O homem não muda!

Se querem que ele mude, tem de o mudar para fora de Alvalade.
Saludações leoninas

 

Enviar um comentário

<< Home