Mãos ao ar

Blogue de discussão desportiva. Qualquer semelhança entre este blogue e uma fonte de informação credível é pura coincidência e não foi minimamente prevista pelos seus autores. Desde já nos penitenciamos se, acidentalmente, relatarmos uma informação com um fundo de verdade. Não era, nem é, nossa intenção.

quinta-feira, agosto 06, 2009

Pelos tornozelos morre o peixe

Nos vales soalheiros do concelho de Proença-a-Nova, onde os agricultores arrancam a custo do solo o canabis que põem na mesa e onde o Rui Veloso procura palavras que rimem com geleia e açafrão, concentram-se condições físicas únicas para o florescimento de uma fruta especial. Os antigos chamam-lhe a ameixa do tornozelo, mas, nos supermercados, ela é vendida apenas como rainha-cláudia.
Este ano, trouxe da terra duas caixas de ameixas do tornozelo. É um fruto particular, uma iguaria que deve ser consumida com parcimónia ou, se preferir, não é uma ameixa para javardos ou para alarves.
Se comer apenas uma, é provável que ainda chegue a tempo à luxuosa casa-de-banho da sua moradia (se me estiver a ler em Cascais) ou à fossa aberta no chão a meia dúzia de metros da entrada da sua caverna (se o amigo leitor pertencer aos No Name Boys).
Comendo duas, é provável que se borre mas talvez ninguém dê por isso, permitindo-lhe manter alguma dignidade perante familiares, amigos e funcionários (no caso do amigo leitor de Cascais) ou perante o seu agente de liberdade condicional (no caso do amigo leitor No Name Boy).
Com três, porém, temo que o leitor se torne uma personagem involuntária de uma reencenação do dilúvio bíblico, passando a ser conhecido maldosamente no condomínio como o cagão barbudo do 1.º D (ler por favor o post anterior para melhor contextualização). Verá então que o nome antigo tem total justiça: esta é, de facto, a ameixa que o faz baixar as calças até ao tornozelo [julgo que é por passagens rudes como esta que o meu nome não foi ainda proposto para o Grémio Literário. Nota mental: mandar uma caixa de rainhas-cláudia ao presidente do Grémio]
Como isto ainda é um blogue de bola e eu só recebo se falar de futebol, submeto ao escrutínio dos senhores a tese de que os clubes cheios de dinheiro (como o Real Madrid ou o FC Porto) ou aqueles que fingem ter dinheiro (como o Benfica) arriscam um destino semelhante ao do glutão que se atira avidamente a demasiadas ameixas do tornozelo. Demasiados reforços no mesmo defeso costumam dar indigestão, sobretudo em intestinos pouco dado a excessos. Seja no início ou no fim da temporada.
Pelo menos, isso é o que os esfomeados do outro lado do bairro gostam de imaginar enquanto esgravatam uma raiz do solo e pensam nos ricos que usufruem de refeições com três pratos: “Vais ver, filho. No fim, vai tudo parar à mesma fossa...”

9 Comments:

At quinta-feira, 06 agosto, 2009, Anonymous Juve Boydisse...

Segundo a imprensa, esse clube tem hipotecadas todas as receitas durante os próximos 10( penso que sejam 10) anos. Ora mais um contrato de patrocinio de 12 anos, isto dá uma margem de manobra aos presidentes vindouros na proxima decada de... 0%

 
At quinta-feira, 06 agosto, 2009, Blogger master kodrodisse...

Sabedoria popular típica da Sobreira Formosa. Inconfundível.

 
At quinta-feira, 06 agosto, 2009, Blogger francisdisse...

logo vi que eras beirão.

 
At quinta-feira, 06 agosto, 2009, Blogger Cagarradisse...

É estranho, como todos se preocupam com o dinheiro do SLB.

Só a titulo de curiosidade, o Sport Lisboa e Benfica deve dinheiro a algum de vós?

Acham que vai à falência é? então esperem, e depois então comentem.

Ai meu Deus, porque os fizeste tão burros.

 
At sexta-feira, 07 agosto, 2009, Blogger Johndisse...

Ao som de viola vai morrer o sbording...

E caro bulhão, tu que tens tanta inside information do scp, que droga é que toma o bettencourt para dizer tanta merda pela boca fora?

 
At sexta-feira, 07 agosto, 2009, Blogger Visigordodisse...

Caro Bulhão, essa de ser vendida nos supermercados como raínha-cláudia deixou-me intrigado.
Ou o meu amigo não sabe bem da potência do produto de que fala ou então vive perto da fronteira e até o raio dos espanhóis já conseguem vender a do tornozelo por lá.
Que seja do meu conhecimento, a danada da ameixa já há algum tempo que tem a venda proíbida, mas também, quando ainda se permite a venda de bilhetes para a tal da catedral, vá-se lá saber o porquê.

 
At quinta-feira, 13 agosto, 2009, Blogger LionHeart (o autêntico)disse...

O bolhão não é da sobreira. Ficou-se pelo Pucariço.

 
At sexta-feira, 14 agosto, 2009, Blogger Bulhão Patodisse...

Por acaso, a família é dos Montes da Senhora, a cinco quilómetros da Sobreira.

 
At terça-feira, 18 agosto, 2009, Blogger Virgíliodisse...

Com q então Montes da Senhora. Terra do meu amigo Nuno Abade, outro Sportinguista ferrenho.


Bulhão 'Beirão' Pato!! Mais um traço comum! :)

SL!

 

Enviar um comentário

<< Home