Mãos ao ar

Blogue de discussão desportiva. Qualquer semelhança entre este blogue e uma fonte de informação credível é pura coincidência e não foi minimamente prevista pelos seus autores. Desde já nos penitenciamos se, acidentalmente, relatarmos uma informação com um fundo de verdade. Não era, nem é, nossa intenção.

quarta-feira, abril 18, 2007

Tens óculos? Vais à baliza!

Recue à infância.
Devagarinho, sem empurrar os outros, recue até à meninice. Apalpe o pulso à criança que você já foi. O pulso, caramba, o pulso! E essa menina com trancinhas que está a sair do Colégio Alemão não é seguramente a criança que você já foi. Vamos ter maneiras. Se é para rebaldaria, não contem comigo.
Acredito piamente que qualquer turma de escola revela já a personalidade dos futuros adultos em que os estafermos se vão tornar. Já em tempos vos falei do gordo, coitadinho, que sofre tanto às mãos dos outros. Há, claro, outros estereótipos. O bruto transformar-se-á, anos mais tarde, no recluso com pena suspensa por assalto à mão armada. O crânio vai, um dia, aperceber-se que os seus extraordinários conhecimentos matemáticos têm mais utilidade para burlar as Finanças e, se não fosse aquela inspecção fiscal, estaria seguramente noutro lugar que não na prisão de Custóias, a servir de almofada a um recluso que provavelmente nunca leu Camus. E, claro, o diferente, aquele que nunca quis jogar à bola com os meninos e preferiu sempre a ternura das bonecas, vai, um dia, soltar a franga. E terá enormes possibilidades de se tornar jogador do Benfica.
Sempre me interessou a figura do caixa d’óculos. Desajustado socialmente e ridicularizado pela natureza, o caixa d’óculos ocupa a terra de ninguém. É repelido pelos meninos, que se apercebem rapidamente da fragilidade do ser com dioptrias que os vê como manchas desfocadas. É afastado pelas meninas que, por maldade, não associam sensibilidade ao estigmatismo crónico. O caixa d’óculos tem duas utilidades na vida escolar: joga à baliza se faltar um jogador a uma das equipas e nenhuma das meninas quiser jogar. E faz de saco de pancada quando o gordo já foi espancado e o bruto precisa de se entreter.
Confesso que não sou grande especialista em puericultura. Admito, aliás, que até há pouco tempo cuidava que a puericultura fosse coisa para estudar as poeiras ou assim. Mas estou seguro que, em privado, o caixa d’óculos cultiva um ódio secreto contra os colegas. Roga-lhes pragas (Ah, se eu visse bem, eu contava-lhes!). E, quando todo o recreio se contorce em gargalhadas depois de ele esbarrar com estrondo pela milésima vez contra o portão, ele refugia-se nos amigos imaginários.
Fernando Santos é assim. Só é treinador porque mais ninguém estava disponível para o cargo e as meninas também não quiseram dirigir a equipa do Benfica. É saco de pancada de 10 milhões de portugueses, que acham fascinante que se consiga ser treinador do FC Porto, com Jardel a sério, e perder um campeonato. Que se consiga desperdiçar 9 pontos de vantagem em três jornadas quando se é treinador do Sporting. Ou que se realize a proeza de perder toda uma época em três dias, quando se é treinador do Benfica.
Enquanto o recreio ri em gargalhadas incontroláveis, Santos amaldiçoa os colegas. Protesta, em sussurro, que, se visse bem, não acumularia a duvidosa distinção de “único treinador português capaz de ser eliminado da Taça de Portugal por três equipas de escalões secundários”. E refugia-se no apoio de Vieira, o amigo imaginário. O problema, caro Santos, é que nem com a mais fértil imaginação Vieira cairá no erro de o reconduzir no cargo.
Com grande pena nossa.

P.S.: A título de adenda, sugiro a leitura de "A Matrafona". Aqui É verdade que o autor justifica alguma desconfiança, mas, como Cunhal em 1986, eu aconselho-vos: não vejam o nome, tapem os olhos, pensem noutra coisa. Mas até vale a pena.

34 Comments:

At quarta-feira, 18 abril, 2007, Anonymous Agoiro Jr.disse...

Em grande! Bulhão, se mordesses a tua própria língua por certo morrias envenenado na hora...

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Anonymous metralhadisse...

Argh! Fui/Sou um caixa de óculos dos tempos modernos.

Não joguei á baliza nem bati nos gordos.

Quando alguem tinha o azar de acidentalmente ou não me mandar as preciosas lunetas ao chão, transformava-me no Bruto e batia até perder as forças.

Quanto ás pragas, tanto as ROGUEI, que neste momento a maior parte das pessoas que gozaram com os caixa d´óculos precisem duns para ler o que escrevi aqui.

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Blogger Peyroteodisse...

Fantástico post!

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Blogger Leão Verdedisse...

Brilhante com o sempre, Bulhão. Ah, e eu jogava à baliza sem precisar de ninguém me mandar para lá. Era aí que eu gostava de jogar.

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Blogger Guitarristadisse...

Hummm... eu ia fazer um comentário elogioso ao post. Mas, entretanto, li o comentário do Leão Verde e... tu tens cada freguês, ó Bulhão...

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Blogger Guardador de Porcosdisse...

Eu até tirava os oculos, mas depois não vejo nepia, mas nunca fui a baliza, sou mais de ataque.

Mas há por ai pessoal que é como se tivessem oculos.

Não é condutor da bica?

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Anonymous jlafdisse...

EU também sempre pensei que o Fernando Santos precisava de óculos. Aliás, acho que só o próprio ainda não percebeu isso...

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Anonymous casualdisse...

Na Virgínia, por muito menos um caixa de óculos levou tudo a eito. Portanto, cuidado com os caixas de óculos ressentidos. Saudações Leoninas

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Anonymous Cacciolidisse...

Muito bom Bulhão!

Mas satisfaz a curiosidade da malta:

Tu eras o caixa d'óculos, o gordo, o bruto ou... o diferente?

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Blogger Férenc Meszarosdisse...

Muito bom, muito bom.

Há, no entanto, uma figura transversal mas incontornável neste elenco que é a do 'dono da bola'. A bola funciona como um elemento de diferenciação divina em que qualquer estereotipo aquire um novo estatuto e uma omnipotência religiosa, sendo obedecido cegamente por uma pleíade de lambe-botas serviçais que o tentam cortejar e influenciar. O dono da bola pode fazer o que quiser, quando quiser e a quem quiser, regressando à sua frágil mortalidade (e ás consequências das suas decisões enquanto sumo decisor) quando já não a tiver em seu poder. Vide Vale e Azevedo. O dono da bola é manipulável e volátil já que a sua transitória posição o deixa vulnerável ao populismo e ás consequentes pressões daquela corte. O dono da bola é o LFV. E o Fernando Santos, seja caixa d'oculos ou gordo, tá lixado...

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Anonymous Juvenenodisse...

Caccioli,
O Bulhão era isto tudo e ainda levava nos cornos da mãe quando chegava a casa porque lhe tinham roubado a bola de trapos.
Resquícios de uma infância difícil, que me parece ser em todo semelhante à do Guardador.
Muito recalcamento!

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Anonymous Chalana (o anti-bulhão)disse...

Eu estou como o Caccioli: também acho que foste... o diferente. E ainda és.
Mas, antes que me esqueça, e por causa do teu ódio ao Benfica, vai comer um balde de merda.

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Blogger Bulhão Patodisse...

Agradeço a preocupação do estimado auditório, mas eu, em pequeno, não fui à escola. De acordo com o guião do programa Novas Oportunidades, eu sou o Carlos Queiroz que não quis estudar. Mas em bom!
Não posso deixar de aplaudir vigorosamente o comentário do Férenc. É verdade que não sei ler, mas leram-mo em voz alta e gostei bastante. Em grande, meu caro.
Juveneno, Caccioli e anti-Chalana: cartão amarelo!

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Blogger Bulhão Patodisse...

Ó Chalana, antes que me esqueça: é absolutamente imprescindível que cá venhas sempre que eu escrevo?
Não é que eu queira espetar-te um x-acto numa artéria, longe disso. Mas, se calhar, há outros blogues onde tu gostavas mais de estar.

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Blogger Corrosivodisse...

Muito bom Bulhão.

Confesso que quando começo a ler o post pensava que estavas a falar do tarado que despachou 30 colegas na Virginia. Seguramente que esse serviu de saco de pancada dos coleguinhas, mas agora vingou-se.

Neste momento eu espero que da próxima vez que o LFV e o Engº se encontrem que o LFV faça de bruto e dê um enxoval de porrada no Engº.

O Engº até deve ser bom homem mas já não há pachorra para aturar a alergia que a vitória e a sorte lhe têm. Incrível como ele tendo como adversário o Engº Fernando Santos 2 (Falo obviamente de Jesualdo, o outro pé frio do futebol português) ele consegue fazer tão má figura.

Bem hajam, e que é do Sancho?

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Anonymous Chalana (o anti-bulhão)disse...

Já percebi que te estou a afectar. Óptimo. Daqui para a frente vai ser pior.
Campeões somos nós. SBL4ever. E venha o Ericksson.

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Blogger Bulhão Patodisse...

Ó Sancho, diz qualquer coisa aos senhores para eles verem que tu ainda estás (mais ou menos) vivo.

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Anonymous Pibermandisse...

Ora bem, o Fernando Santos é um menino de óculos (sentido vernáculo)?
Para compor o ramalhete o próximo no banco do jardins de Carnide só pode ser o menino do campo que gosta de toiros e tens as faces rosadas...sai uma Peseirada para aquelas bandas?

Era bonito...

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Blogger Bulhão Patodisse...

Isso é que era!!!

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Anonymous Anónimodisse...

Eu sempre fui caixa de óculos mas nem por isso me senti alguma vez discriminado.

Aliás fui sempre à baliza por gosto (até me tornei um guarda-redes decente), era eu que batia normalmente nos gordos, nos magros e até nos brutos e as raparigas adoravam-me, ao ponto de ter sido expulso do colégio de freiras onde a minha mãezinha me tinha depositado. Como se vê bulhão, ser caixa d'óculos não é sinónimo de infância infeliz.

Agora do que eu sempre gostei foi de espancar crianças do tipo chalana. E era um hábito que não era só meu. Se o tipo era estúpido e do benfica, então levava porrada na certa. Talvez isso explique o recalcamento do chalana e dos outros como ele.

LionHeart

P.S: Quem lixou a minha password do blogger? Que apareça para eu lhe partir os cornos...

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Blogger joaquim agostinhodisse...

Ainda não deu para chegar outra vez á "chapa nos cornos"! Mas já deu para um "balde de merda"! Está quase!

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Blogger Guitarristadisse...

O que eu mais gosto é quando isto começa a aquecer. É baldes, chpadas, chapeladas, porcos, nacionalistas... eich, que grande confusão. Ainda falam sos superdraões... :)

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Blogger Helena Henriquesdisse...

Adoro estes sulistas elitistas...

;)

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Blogger Bulhão Patodisse...

Faltou o "liberais", Helena. Se me vais chamar LF Menezes, faz o favor, ao menos, de escrever a citação completa. Humpf!

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Blogger Leão Verdedisse...

ó guitarrista, tens alguma coisa contra os meus dotes de guarda-redes?

 
At quarta-feira, 18 abril, 2007, Blogger Sirdisse...

O Bulhão era daqueles que tinham os pés quadrados. Usava aparelho e corria efeminadamente. Não tinha dinheiro para bolas, pois esgotara-o em pornografia e em poesia do Manuel Alegre.

Foi desta forma que, lentamente, enquanto saboreava o seu leitinho nesquick e o seu pão com goiabada, foi aperfeiçoando os seus dotes literários e comentaristas. Uma espécie de Rui Tovar da contemporaneidade - mas em bom, não é? Imaginem se tivesse estudado.

 
At quinta-feira, 19 abril, 2007, Anonymous Pibermandisse...

Sempre tinha a UnI, não serve de desculpa...

Acho piada um lamp com alcunha de sir...É utópico!

 
At quinta-feira, 19 abril, 2007, Blogger Visigordodisse...

Sir, também eu esgotava a mesada em pornografia, e em alguma poesia.
A do Manuel Alegre, na altura, era oferecida, calculo que agora, depois de ter feito um poema ao Figo, a coisa tenha ido por aí acima. Um Manuel Alegre publicado e respeitado, hoje em dia, diria que é quase tão bom como o João Querido Manha a debitar poesia na TVI nos domingos à noite. É mais uma daquelas razões que me fazem perceber que quem vive ao pé da Ribeira dos Milagres não se separará do cheiro só porque quer. Alegre diz: "O deporto tem de ser verdadeiro"
Manha diz, a propósito de o Benfica estar a perder e ter de recuperar: "Dê lá por onde der".
Sir, a tua análise do Bulhão consegue ser quase tão boa como o gabinete do nosso primeiro a lidar com a questão do diploma, exceptuando que um Nesquick, é um Nesquick! E nessa aí é que ninguém reparou, ah pois é!
Se traçares paralelas, perpendiculares, faz um trace aos tempos em que cada um está online.
Conclusão óbvia, não é?
O Bulhão é decididamente o Coelho da Nesquik!

 
At quinta-feira, 19 abril, 2007, Blogger Visigordodisse...

Ah, Chalana, campeão és tu, obviamente. Tu e o Fernando Santos. Não esquecer a quem se deve atribuir os louros.

Faço ideia quando terminar a medicação....

 
At quinta-feira, 19 abril, 2007, Anonymous Anónimodisse...

http://intermitenciasdacorte.blogspot.com/

 
At quinta-feira, 19 abril, 2007, Anonymous LionHeartdisse...

O chalana é um rabeta de primeira. Lança as "bojardas" e depois pira-se.
A alcunha de galinha fica-lhe tão bem.

 
At quinta-feira, 19 abril, 2007, Blogger Helena Henriquesdisse...

:O

Peço desculpa, sulistas, elitistas e neo-liberais. E já agora aproveito para dar os parabéns a vice Taça está garantida, vamos lá ver se ficam com a fruteira :D

PS Grande Moutinho!

 
At quinta-feira, 19 abril, 2007, Blogger Guitarristadisse...

No primeiro golo do Moutinho deveria ter sido assinalada falta! Aquele cruzamento é um ultraje. É aquilo que andam a aprender lá no reformatório? Pfff...

 
At domingo, 29 abril, 2007, Anonymous Anónimodisse...

Alguem devia escrever sobre os 5ºs amarelos de hj no jogo do porto...
Tenho a clara sensação q mais vale jogar contra o nacional do q ter uma eliminatoria da taça... é q na taça ja nao da p limpar os cartoes...
O trongo Alves vai mandar o nacional perder contra o porto só p prejudicar o sporting!

 

Enviar um comentário

<< Home