Mãos ao ar

Blogue de discussão desportiva. Qualquer semelhança entre este blogue e uma fonte de informação credível é pura coincidência e não foi minimamente prevista pelos seus autores. Desde já nos penitenciamos se, acidentalmente, relatarmos uma informação com um fundo de verdade. Não era, nem é, nossa intenção.

terça-feira, novembro 28, 2006

Os Merdinhas – Parte 1

Iniciamos hoje, em semana de clássico, uma série de crónicas dedicadas aos artistas que, tendo tido a graça de vestir de verde e branco, se desgraçaram e representaram posteriormente o Benfica. Fazemo-lo, recordando o histórico e pungente apelo do visconde de Alvalade que os historiadores perfidamente obliteraram dos livros de história: “Quero fazer deste clube um dos melhores da Europa, e os celerados que nos trocarem para jogar pelo taberneiro do Cosme Damião serão tratados como javardos que são. Um grande bem-haja”.

O Merdinhas
Um relato destes, que se pretende sério e imparcial como é norma da casa, só poderia começar pelo Merdinhas. O Merdinhas é, já o adivinharam, o petit nom de Simão, um dos melhores marcadores de penalties da nossa liga. Antecipo-me aos críticos: nada me move contra o liliputiano Simão, excepto talvez esta vontade incontrolável de o esganar, esmagando-lhe a jugular com o anelar esquerdo, enquanto os olhos dele reviram como os de um impala sufocado por uma leoa, com uma força, com uma força, com uma força que ninguém pode parar, com uma fome que ninguém pode matar, toma os comprimidos, Bulhão, que estás outra vez a hiperventilar. Puf puf puf.
Prossigamos.
Do vasto património cultural legado pelo Merdinhas, exalto duas histórias, reveladoras da rectidão de carácter do personagem. Lembram-se do golo de penalty no Mundial? O jogo não contava para nada, Portugal já estava a ganhar , o Merdinhas marcou o penalty e… ninguém o foi abraçar. Ora, o Merdinhas que já se ressente de não ser a primeira figura da selecção (era o Figo, agora é o Ronaldo, e o Quaresma, e o Nani, e o Carvalho, e o Gomes, e o senhor que corta a relva do Estádio do Jamor, e por aí adiante, antes de chegar a ele), não encaixou bem o golpe. Será porque sou pequenino? Ou porque ainda guardo no rosto o muco acumulado a guardar vacas, lá em Constantim.? Fosse pelo que fosse, o Merdinhas festejou sozinho. Ele bem chamava os colegas, os bracinhos muito irrequietos agitando-se freneticamente como uma marioneta, mas ninguém lhe ligou. Hom’essa! Se isto são umas bestas, hein! Quando chegar a Lisboa, eu compro um carro ainda maior e já lhes mostro.
Segundo episódio: no ano passado, depois de perder em Guimarães, um texto publicado no site do Merdinhas exonerava-o milagrosamente do descalabro. “Simão correu, mas ninguém acompanhou. Simão passou, mas ninguém passou. Simão rematou, mas ninguém se precipitou para a recarga”. O gesto, fino, caiu bem no goto de colegas e adeptos: tem bons fundos, o pequeno Smeagol. O génio em debute que todos vaticinaram lá teve o seu merecido lanche de palha no final da época, cozinhado pelos colegas despeitados e pelo público que lhe leu a pinta: ficou sozinho, o pobre. depois da aventura de Valência, ridicularizado nos jornais e humilhado no notário. Escreve agora novo comentário, imbecil! – riu-se o grupo dos trolhas que, prostrado diante do Estádio, discutia o preço das couves e o número de ventres perfurados com facas de ponta, durante a semana.
Poderia enumerar outros méritos: as letras garrafais da Sacoor estampadas na roupa, pretenso efeito de óptica para parecer maior; as rábulas da braçadeira de capitão; a inesquecível transferência para Liverpool; os calotes de que foi alvo. Mas não o farei. A culpa é, de certa forma, nossa. Como muito bem disse Manolo Vidal, falhámos qualquer coisa na formação do Merdinhas.

23 Comments:

At terça-feira, 28 novembro, 2006, Anonymous Conandisse...

não digam mal do simãozinho, pois o pequerrucho dá-me muitos pontos na liga record á conta dos 500 mil penalties assinalados por época a favor dos mete nojo.

 
At terça-feira, 28 novembro, 2006, Anonymous Anónimodisse...

Não digam mal do Simulão...

 
At terça-feira, 28 novembro, 2006, Blogger Apredisse...

Eu acho que mais que criticar a formação psicológica do merdinhas,(aqueles penteados para pretensos efeitos de óptica), o mais criticável é o ressabianço por ele ter desejado sempre regressar ao Sporting, mas vocês não quererem, só isto explica o comportamento dele.

 
At terça-feira, 28 novembro, 2006, Blogger Jay Jay Okochadisse...

Quererem ou poderem, Apre. Os gajos não podem pagar nem por um ceguinho quanto mais pelo Simãozinho. Por isso, moem o rapaz.
Simão é nosso. Simão é nosso e há-de seeeeeeeer!

 
At terça-feira, 28 novembro, 2006, Anonymous CJdisse...

"Simão é nosso. Simão é nosso e há-de seeeeeeeer!"

Há-de ser Homem?


Caro Bulhão, desvirtuaste o idílico mundo do Tolkien, recorrer ao Smeagol para caracterizar o Simão é no mínimo ignominioso!!!


Arruinaste o meu natal!!!

 
At terça-feira, 28 novembro, 2006, Anonymous Chalanadisse...

Pode ser que ele vos guarde duas batatinhas especialmente para lagartos. E depois quero ver-vos a choramingar: ah, o sacana do Sião, o ingrato do Simão~.

Vamos gelar Alvalade!!!!

 
At terça-feira, 28 novembro, 2006, Anonymous milhafredisse...

Vai sonhando, chalanita.

 
At terça-feira, 28 novembro, 2006, Blogger Visigordodisse...

Coitado do Manolo que nem sabia do que falava, falhámos qualquer coisa, dizia ele, quando se referia ao carácter. Então e o conceito de penteado, e de carro, e de tatuagens, e de saber com quem se dá, principalmente dentro da equipa onde joga, e saber para que clube é que quer ir, e limitar o acesso como administrador ao seu site pessoal, e..., e..., e...
Este merdinhas, cada vez que o vejo numa antiga capa de revista a beijar o emblema do Sporting e a dizer que deve tudo àquele clube, dá-me vontade de lhe pôr umas orelhas de lince e pô-lo a correr pela Serra da Malcata. Pensando bem....nem sempre é nessas situações, é sempre que o merdinhas aparece. Por exemplo, quando ele consegue vender um kit em Constantim, a água falta durante uma semana. Isto não é obra do mafarrico?

 
At terça-feira, 28 novembro, 2006, Blogger Visigordodisse...

"Quererem ou poderem, Apre. Os gajos não podem pagar nem por um ceguinho quanto mais pelo Simãozinho. Por isso, moem o rapaz"
Hein, isso é que é! Quando nesta altura o Sporting não podia pagar pelo Simão, tu não podias pagar nem pelo nosso Quim Berto, que por acaso até acho um nome capaz de vender milhares de camisolas...no Luxemburgo. Só te falta saber é até que parte dos...dos...das partes pudendas é que estás enterrado, não é? Viva Simões, Karagounis, Costas e Roberts e essas merdas que têm engrandecido o Banfas. Vieram todos de borla!
Tal como Jesus Cristo no cimo da montanha, Vieira chegou ao Banfas e disse: "Hoje, trago promessas p'ra todos".

 
At quarta-feira, 29 novembro, 2006, Blogger Insurrectodisse...

visigordo: queres falar de Buenos, Kokes e Motas??

 
At quarta-feira, 29 novembro, 2006, Blogger Insurrectodisse...

Ou queres falar de jogadores que estão sem clube, mas que custam UM MILHÃO DE CONTOS??

 
At quarta-feira, 29 novembro, 2006, Anonymous Anatolydisse...

Segue um Kikin para o Insurrecto

 
At quarta-feira, 29 novembro, 2006, Blogger kaiowadisse...

O Mantorras não tá no Benfas?

 
At quarta-feira, 29 novembro, 2006, Anonymous Ubualdo Chóriçadisse...

No âmbito desta curiosa iniciativa, interrogo-me, estimado Bulhão, sobre a efectiva extensão do tempo de antena que aí merecerá/obterá (riscar o que não interessa) a rubrica a dedicar a certo ex-jogador dos Pastilhas (mais que não seja por interpretação extensiva justificada por um contratozito promessa em tons de vermelho e branco rubricado em tempos por aquele que é agora um dos mais fervorosos apoiantes dos nerazzuri). Trata-se, claro, de uma mera sugestão...
Quanto ao Simão, e considerando-o enquanto pessoa, estou basicamente de acordo com a avaliação feita (embora, como responsáveis pela formação do petiz, a culpa seja vossa). Mas - aqui entre nós - o que me interessa é que, amanhã à noitinha, envergando o manto sagrado, com o n.º20 estampado nas costas, o vosso proscrito vos espete uma ou duas batatinhas no bucho

 
At quarta-feira, 29 novembro, 2006, Anonymous Ubualdo Chóriçadisse...

Corrigenda:
onde se lê "amanhã à noitinha" deve ler-se "depois de amanhã à noitinha".
Obviamente.

 
At quarta-feira, 29 novembro, 2006, Blogger Helena Henriquesdisse...

Ahhhh, finalmente descubro o porquê do anão nojento. Bulhão, uma pergunta, não fizeste nenhuma referência ao episódio "eu é que sou o capitão" que, confesso, é um dos meus preferidos. ;)

 
At quarta-feira, 29 novembro, 2006, Blogger Bulhão Patodisse...

Esqueci-me, Helena. Esqueci-me.
Em compensação, lembrei-me da rábula da braçadeira: "Ó Hélder, tu fizeste campanha para seres capitão."

 
At quarta-feira, 29 novembro, 2006, Blogger NMBdisse...

"Simão é nosso. Simão é nosso e há-de seeeeeeeer!"

Da última vez que reparei, alguns seres de extensos bigodes e duvidosos hábitos de limpeza faziam esta mesma rábula, em frente às câmaras, agitando freneticamente um poster do João Pinto. O tal que acabara de assinar pelo Sporting.

Duas questões: (i) porque será que Barcelona, Valência e Liverpool o descartaram por tão pouco? (ii) porque é que a tal oferta de 18 milhões de contos pelo Mantorras nunca mais chega?

Ahhhhhh mal intencionados!!!

Nota final: onde se lê "Simão", pode ler-se "Suinão".

 
At quarta-feira, 29 novembro, 2006, Blogger Bastos Lopesdisse...

A alcunha de "Levezinho", vêm do facto de cair sem ninguém lhe tocar...???

 
At quarta-feira, 29 novembro, 2006, Blogger Férenc Meszarosdisse...

' Mariana, quem é o teu pai? Hugo Leal, Kenedy ou João Portugal?'

Faixa da Juve Leo no dérbi Sporting -Benfica de 2002, antes do qual o anão ingrato disse 'Quero roubar o título ao Sporting'.

 
At quinta-feira, 30 novembro, 2006, Anonymous PAPOILA SALTITANTEdisse...

Tanta má vontade para com o rapaz que nem nunca festejou condignamente um golo ao Sporting. Pode ser que agora com o exemplo do Figo, esse sim, um homem que deve o seu nobre carácter à escola de formação do $porting, ele esteja mais à vontade.

Já agora, parece-me que vocês não se lembram que o venderam ao Barcelona e nem quiseram exercer o direito de preferência que tinham. Se não valia a pena, para quê tanto desgosto com o rapaz que só quer exercer a sua profissão?
Ainda se se tratasse de algum Pacheco ou Paulo Sousa...
Nem o João Pinto causa tanta azia aos benfiquistas. Será que essa azia é condição para ser adepto do Sporting?
Não vejo tanta má vontade em mais clube nenhum.
Olhando de relance para alguns lagartos famosos, Dias Ferreira, ou José António Lima, eu até diria que é essa injecção constante de azia que vos alimenta o espírito, obviamente esverdeado.
Cuidado para não morderem a língua

 
At quinta-feira, 30 novembro, 2006, Blogger Sancho Urracodisse...

Ó papoila, saltitas bem mas não me alegras. Aquilo que defines de azia dos sportinguistas para com o pequeno gnomo não se deve ao facto de ele ter ido do Barcelona para a Luz. Deve-se, simplesmente, à quantidade de alarvidades que ele disse quando envergou a camisola carmim, coisas do género 2queremos ir a Alvalade roubar o título ao Sporting". Felizmente, a profecia do anão não se confirmou...

 
At sábado, 02 dezembro, 2006, Blogger Bastos Lopesdisse...

Por falar no Simão, o Custódio ainda hoje anda à procura dele...

 

Enviar um comentário

<< Home