Mãos ao ar

Blogue de discussão desportiva. Qualquer semelhança entre este blogue e uma fonte de informação credível é pura coincidência e não foi minimamente prevista pelos seus autores. Desde já nos penitenciamos se, acidentalmente, relatarmos uma informação com um fundo de verdade. Não era, nem é, nossa intenção.

segunda-feira, outubro 16, 2006

Isto Faz-se Muito na Suécia!

Há muitos anos que defendo que existem duas coisas genuinamente perversas no futebol português: os dirigentes que usam o blazer sobre os ombros, sem preencher as mangas; e a arbitragem. Há quem diga que o primeiro problema que identifico é uma palermice, mas isso são leitores sem sentido estético. Recordo que foi mais ou menos assim que começou a Alemanha nazi.
Ocupemo-nos hoje, porém, da arbitragem, uma área que eu, na minha ingenuidade, cuidei ter remédio com a instrução do Apito Dourado.
Há genericamente duas formas de apreciar a arbitragem em Portugal: um núcleo de pessoas considera que os árbitros deveriam ser deixados em paz, que são seres humanos como os outros, que erram como qualquer um de nós, que têm todo o direito de se divertirem com as prostitutas que quiserem, de jantarem com os dirigentes que entenderem ou de participarem em orgias nas ilhas que preferirem. Esse núcleo de pessoas é constituído genericamente… por árbitros. Há depois outro grupo, um pouco mais vasto, que entende que a nossa arbitragem está para o futebol como as fístulas estão para o pus: são canais que permitem a progressão da inflamação. E, nas infecções como no futebol, há que ter a certeza de que o pus escorre, viscoso mas alegre, na direcção desejada.
Na semana passada, no Tribunal de Gondomar, um dos arguidos do processo Apito Dourado – José Luís Oliveira – teve uma intervenção memorável que, só por malícia, não foi ainda incluída nos anais da retórica jurídica. Disse o senhor que as ofertas com que o SC Gondomar semanalmente contemplava os trios de arbitragem não faziam parte de uma estratégia de aliciamento dos juízes. Segundo ele, os relógios, as orgias, os jantares, as orgias, as pulseiras e as orgias não serviam para ganhar os favores dos árbitros. Cruzes, credo, que sugestão! Destinavam-se, pura e simplesmente, a garantir que árbitro e auxiliares não prejudicariam o clube.
Da mesma forma que, ao estacionarmos o carro, damos dois euros ao arrumador, não para pagar o serviço de estacionamento, mas para garantirmos que o carro não será riscado, com os árbitros paga-se antecipadamente, por prevenção, para impedir a viciação dos resultados desportivos.
A argumentação é promissora e raramente foi ensaiada por um arguido. Abre-se, aliás, um novo campo de defesa: o construtor imobiliário paga uma comissão antecipada à câmara municipal para garantir que não será prejudicado no futuro concurso público, o violador avança para a moça para garantir que não será por ela desflorado, o presidente do Benfica telefona ao major para receber garantias de que o árbitro nomeado não o vai burlar e, porque não?, o assassino perpre… prepretr… pertetra… errr… mata a vítima para evitar que esta o golpeie.
Neste estado de coisas, para lá da gargalhada sonora reservada ao arguido Oliveira, impõe-se uma pergunta decisiva aos dirigentes do Sporting: não estará na altura de providenciar uma orgia aos Olegários e companhia? Não para solicitar auxílio, alarves!
Para prevenção.

18 Comments:

At segunda-feira, 16 outubro, 2006, Anonymous RexImperatordisse...

O problema é que a arbitragem está tão viciada que ambas as equipas pagam orgias pulseiras orgias relógios para não serem prejudicadas. É o paraíso dos árbitros..... e dps podem gamar quem bem entenderem, uma vez que ninguém vai poder falar.... Será este o sistema de que tanto falam

 
At terça-feira, 17 outubro, 2006, Blogger Bulhão Patodisse...

Eu só ouço falar de orgias para aqui, bacanais para acolá. A mim, que eu saiba, não me tocou sequer uma romena sifilítica. Já lá dizia o Zeca Afonso: eles comem tudo e não deixam nada!

 
At terça-feira, 17 outubro, 2006, Anonymous Anónimodisse...

Pensava que "pus" era feminino...

 
At terça-feira, 17 outubro, 2006, Blogger Bulhão Patodisse...

Depende mesmo de quem põe.

 
At terça-feira, 17 outubro, 2006, Blogger Sancho Urracodisse...

É por isso que o futebol, então conhecido por "calcio", foi banido da Roma Antiga. Todos aqueles mosaicos e frescos que vemos hoje nos sítios arqueológicos romanos, e que reproduzem orgias e bacanais, são árbitros da época. Hoje, apenas mudam as intérpretes: já não são vestais nem virgens, mas brasileiras, romenas e ucranianas. E ainda bem - já imaginaram os Olegários, os Paratys, os Costas e outros que tais vestidos com uma toga, reclinados numa cama com um cacho de uvas numa mão e uma mama ucraniana, romena ou brasileira na outra?
Bem, espero não estar a dar ideias aos dirigentes da nossa praça...

 
At terça-feira, 17 outubro, 2006, Anonymous Chalanadisse...

Por acaso podes falar, ó gorila do caralho! Corrigam-me se eu estiver errado. Quantas orgias foram pagas pelo campeonato que ganhaste em 2001/2002? Mais de 20 penaltes, arbitragens vergfonhosas. Nessa altura, não havia sistema, pois não?
Foda-se. Então cala-te, como diz o anúncio.

 
At terça-feira, 17 outubro, 2006, Blogger Sancho Urracodisse...

Já cá faltava este...
Se calhar, pela tua lógica, o mesmo se aplica ao campeonato que ganhaste há dois anos, não? É que nessa época o que não faltaram foram arbitragens vergfonhosas!

P.S. Já estou um bocado farto desse mito dos "mais de 20 penalties"... Qualquer dia, são mais de 30. Foram 17, e alguns ainda ficaram por marcar, entendido?

 
At terça-feira, 17 outubro, 2006, Anonymous Anónimodisse...

Muitos ficaram por marcar, ó chalana.

 
At terça-feira, 17 outubro, 2006, Blogger Helena Henriquesdisse...

Vê-se bem que não assististe a muitos julgamentos. Têm momentos divertidos, este é só um. Mas devo dizer que acho mal que, usando a imagem do nosso Eça, cites o Zeca nestas circunstâncias... Vícios privados, que diabo!

 
At quarta-feira, 18 outubro, 2006, Anonymous O falso isentodisse...

Mas vocês ainda não perceberam que todos os clubes compram árbitros? Julgam que alguém é campeão sem árbitros? Ou que só os que ganham o campeonato nesse ano é que compraram? Só para relembrar o Sporting foi campeão em 99-2000 com uma data de craques ex-FCP, José Veiga, Jorge Gomes, Carlos Freitas e outros que tais. Em 2001-2002 a mesma coisa.

 
At quarta-feira, 18 outubro, 2006, Blogger NMBdisse...

Sancho,

Permita-me a correcção, porquanto o Chalana (nome igualmente mítico do processo penal) não falou em "mais de vinte pennalties", mas sim "penaltes", o que é completamente diferente.

Acho que lhe deve um pedido de desculpas pela precipitação.

 
At quarta-feira, 18 outubro, 2006, Anonymous jlafdisse...

Chalana não é aquele gajo que batia na mulher e não queria saber do filho? Queria saber mais do Scotch, não era?
Por falar em scotch...grande sova, ontem!

 
At quarta-feira, 18 outubro, 2006, Blogger Bulhão Patodisse...

Belíssima associação, JLAF. Belíssima.
Eu, cá por coisas, prefiro só falar de Glasgow amanhã.

 
At quarta-feira, 18 outubro, 2006, Anonymous RexImperatordisse...

Nao ha duvida que o scotch cai melhor depois de deglutir umas boas salsichas bavaras. Antes e arriscado, pode dar azia...

 
At quarta-feira, 18 outubro, 2006, Blogger Jay Jay Okochadisse...

Gozem, gozem. Pode ser que o riso acabe logo à noite. Força, Bayern.

Bayern Über alles.

 
At quarta-feira, 18 outubro, 2006, Blogger Jay Jay Okochadisse...

Gozem, gozem. Pode ser que o riso acabe logo à noite. Força, Bayern.

Bayern Über alles.

 
At quarta-feira, 18 outubro, 2006, Anonymous Conandisse...

este gay gay deve ser adepto da dupla penetração anal.

 
At quarta-feira, 18 outubro, 2006, Blogger Helena Henriquesdisse...

Mas, Bulhão, isto é um sintoma de que a Gueixa está a tomar conta da vestal?

 

Enviar um comentário

<< Home