Mãos ao ar

Blogue de discussão desportiva. Qualquer semelhança entre este blogue e uma fonte de informação credível é pura coincidência e não foi minimamente prevista pelos seus autores. Desde já nos penitenciamos se, acidentalmente, relatarmos uma informação com um fundo de verdade. Não era, nem é, nossa intenção.

sexta-feira, setembro 22, 2006

Caso de Polícia

Acabou o jogo. No túnel de acesso aos balneários, os jogadores das duas equipas trocam impressões sobre os 90 minutos. Dois deles têm uma discussão mais acalorada:
- Ó pá, não era preciso teres entrado daquela maneira…
- O que foi, meu cabrão da merda?
- Estava a dizer que podias teres-te feito à jogada de outra forma.
- Olha-me este! Tens muita sorte, se eu cá quisesse, tinha-te partido a perna e depois partia-te os cornos todos!
- Desculpa, eu sei que podias ter feito isso, só estava a defender a ideia de que podias ter sido mais brando na forma como tentaste interceptar o esférico…
- És mas é um “ganda” palhaço, já “tou” arrependido de não te ter partido todo.
- Mas, senhor Petit, não é necessário enveredar por esse tipo de linguagem, só estava a chamar a atenção porque acho que…
Neste entretém, passa o trio de arbitragem, mais quarto árbitro, e tentam apaziguar as coisas: “O que se passa? O jogo já acabou, deixem lá essas coisas”.
- O que foi, pá? Também queres barulho? Não te bastou a bela merda “d’arbitage” que fizeste e ainda andas aqui? “Vaitembora”, carago!
- Ó Petit, desculpa lá os modos, mas escusava de levar com os perdigotos…
- Olha outro! Devias era levar com uma langonha verde nas trombas!
O outro jogador intervém:
- Verde? Isso é comigo? Lá por jogar no Sporting não quer dizer que estejas a ser menos correcto comigo.
- Ò que car****! Vão-se os dois f****! Vão levar na bilha, montes de esterco! Puta que pariu!
- Tens razão, Petit, não me devia ter metido na conversa. Mas podes descansar que vou pôr esta agressão no relatório e a Liga vai tramar o gajo.
- Mas eu não fiz nada…
- Cala-te, car****! Ès “mêmo” um #&%$!*»#, filho da puta, paneleiro!
O árbitro resolve pôr cobro à situação. Olha à volta e vê vários polícias: “senhor guarda, faz favor de identificar este sujeito”. Os agentes, meio atónitos, não têm capacidade de reacção.
- Não ouviram o árbitro, f***-**! “Fáxavor de “indenticarem” este “gaje”!
- Mas eu sou o João Alves, não é preciso identificarem-me, jogo no Sporting…
Os polícias acercam-se do jogador e pedem-lhe o bilhete de identidade, o cartão de contribuinte, o boletim de vacinas, o imposto sobre veículos automóveis, conferes duas fotografias tipo-passe e dizem para o árbitro: “Já está identificado. Chama-se João Alves e a modos que joga no Sporting”.
Petit e o árbitro, mais serenos, dirigem-se lado a lado para as cabinas. Ouvem-se risos descontrolados entre os dois e um grito em uníssono: “Já os f****** outra vez!” Até à próxima, “xôr” Juõe Ferrêra! Ah, e “dxeculpe” lá “aquile” dos “predigotos”…

Nota – Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência. Embora baseada em factos da vida real, o autor adverte que a história é pura ficção e que não se responsabiliza pela coincidência de nomes e lugares. São apenas fruto da sua imaginação. Só assim se explica que um dos personagens responda pelo nome de Petit – vê-se logo que é irracional.

19 Comments:

At sexta-feira, 22 setembro, 2006, Anonymous Anónimodisse...

Errata: Onde se lê "podias teres-te feito..." deve ler-se "podias ter-te feito..."

Bronco!

 
At sexta-feira, 22 setembro, 2006, Blogger Sancho Urracodisse...

Tu, que te escondes sob o manto do anonimato:

Bingo! Mas não tenho culpa que o personagem em causa, de nome João Alves, não se saiba expressar correctamente.

 
At sexta-feira, 22 setembro, 2006, Anonymous Anónimodisse...

... não me parece que fosse essa a intenção da prosa...

 
At sexta-feira, 22 setembro, 2006, Blogger NMBdisse...

Por uma vez, um anónimo que sabe conjugar os verbos... Lindo.

 
At sexta-feira, 22 setembro, 2006, Anonymous bastoslopes10disse...

Caso de polícia é saber quem é que no Sportinhg deu o aval na contratação desse grande jogador chamado João Alves.
PS:Qualquer semelhança com o «luvas pretas» é mera coincidência...

 
At sexta-feira, 22 setembro, 2006, Blogger Bastos Lopesdisse...

Como me pedem para ter o nome em azul, informo que o último comentário é de minha autoria.
O 10 é o número da camisola, o chamado playmaker...

 
At sexta-feira, 22 setembro, 2006, Blogger Bulhão Patodisse...

Faltará apenas esclarecer a dúvida que provoca insónias: qual dos irmãos Bastos Lopes é que ilumina esta caixa de comentários? O António ou o outro (não me alembra o nome)?

 
At sexta-feira, 22 setembro, 2006, Blogger Bulhão Patodisse...

Já agora: concordo plenamente. A contratação do João Alves, por teimosia do Peseiro, tem todos os contornos de caso de polícia.

 
At sexta-feira, 22 setembro, 2006, Blogger Visigordodisse...

O qu'eu acho é qu'áqui matéria mais do que sufecente, e relevante, pró Apito passar Á'pitar! Ist'é uma vergonha, atão o gajo num disse que, e tal?
Bandidage é o qu'eles são todos, é uma bandidage! Até já os Bastos Lopes andim metidos nisto.....

 
At sábado, 23 setembro, 2006, Blogger Antão Bordoadadisse...

Bulhão: Alberto. Jogou no Belém, por exemplo. E era ainda mais cepo que o Toino.

 
At segunda-feira, 25 setembro, 2006, Anonymous Pietradisse...

Caro Sancho, não terás confundido os personagens?
Não seria o Rui Jorge e o Mourinho?

 
At terça-feira, 26 setembro, 2006, Blogger Apredisse...

E safou-se com 3 jogos na sua primeira (1ª) expulsão desde que chegou à luz.
Talk about sucesso na reinserção de um jogador!

 
At terça-feira, 26 setembro, 2006, Blogger Guitarristadisse...

Resta saber o que faria o Petit nos túneis de acesso aos balneários de Alvalade após um jogo entre Sportém e Paços de Ferreira. Aliás, mais intrigante: como é que ele entrou em campo e tentou partir uma perna ao João Alves?! Hoje - e faço isto uma vez, por exceção - ouso interpelar directamente o Sancho, sem mandar recado pelo seu amo: para além dos jogadores do Sportém, o único que conheces é o Petit... certo? Bulhão, se o Sancho não perceber a pergunta, agradeço que lha expliques.

 
At terça-feira, 26 setembro, 2006, Blogger Sancho Urracodisse...

Guitarrista amigo:

Bem podes meter a viola no saco, resvalas sempre na carapaça da minha indiferença. Não costumo dar troco a lampiões, muito menos aos que se julgam com o dom da verve.
Abro agora uma excepção apenas para te corrigir, porque o saber não ocupa lugar: como leste atrás, escreve-se excepção, e não exceção.
Beijos às primas e vai dando notícias.

 
At quarta-feira, 27 setembro, 2006, Anonymous Pietradisse...

Caro Sancho, para dar troco é necessário ter existido um pagamento. Logo, pergunto se terá sido em Canal Caveira, ou no Pinhal de Leiria?
Guitarrista, já não é mau o Sancho conhecer o Petit, porque só não conhecendo FUTEBOL é que se pode ser do Sportem.

 
At quarta-feira, 27 setembro, 2006, Blogger Sancho Urracodisse...

Tens razão, meu.
Até ontem não conhecia futebol, mas depois de ver o bailarico que o Ronaldo vos deu, já fiquei a conhecer

 
At quarta-feira, 27 setembro, 2006, Blogger Guitarristadisse...

Tens que alargar a carapaça da indiferença, Sancho. Às vezes dá a impressão que te aperta as meninges.

 
At quarta-feira, 27 setembro, 2006, Blogger Sancho Urracodisse...

Obrigado amigo tocador. Vou tomar isso como um elogio.

 
At sexta-feira, 29 setembro, 2006, Anonymous Pietradisse...

MEU?

 

Enviar um comentário

<< Home