Mãos ao ar

Blogue de discussão desportiva. Qualquer semelhança entre este blogue e uma fonte de informação credível é pura coincidência e não foi minimamente prevista pelos seus autores. Desde já nos penitenciamos se, acidentalmente, relatarmos uma informação com um fundo de verdade. Não era, nem é, nossa intenção.

domingo, abril 02, 2006

Os Emprestados

Há poucas coisas mais irritantes do que sofrer golos de jogadores emprestados. Há quem diga que prender uma parcela relativamente grande do escroto no fecho éclair custa mais, mas eu não caio nessa. Sofrer um golo marcado por um jogador emprestado é a traição suprema, é fogo que arde sem se ver. Leva-nos à frustração de verificar que, afinal, os nossos dirigentes não são tão mafiosos como pensávamos. Não conseguiram, sequer, obrigar o menino em causa a simular uma lesão, como o FC Porto costuma fazer com os Brunos Vales e os Macieis.
Entendamo-nos: sou frontalmente contrário à ideia peregrina de um jogador emprestado jogar contra o seu clube empregador. Nem comecem com a treta da verdade desportiva e do moralmente correcto. Se eu quisesse ser moralmente correcto, tinha-me feito ajudante do sacristão na Igreja de Santo António dos Cavaleiros. Não fiz e agora já é tarde para usar a batina... a não ser que sirva para catrapiscar a Soraia Chaves. Aí já uso o que ela quiser.
Admito que a noção possa ser peregrina, mas eu gosto mais de ganhar do que perder. Por que diabo hei-de facilitar a vida ao clube que vai jogar contra mim? O empréstimo tem essa dupla função pedagógica: vemo-nos livres dos produtos fora de prazo que temos na despensa e dificultamos a vida aos nossos rivais directos quando eles jogarem com o clube contemplado com o empréstimo. Por rival directo, entendo naturalmente o FC Porto e o Nacional da Madeira.
Historicamente, o departamento de futebol do Sporting é o sector mais ingénuo de toda a Criação. Contra nós, não há gato pingado que não jogue. A maioria, coitados!, só faz asneira: não foi à toa que foram empurrados para fora do barco. Mas, de vez em quando, uns golitos do Silva ou do Wender dão que pensar.
Com a excessiva importância que normalmente costumo atribuir aos meus pensamentos originais, permito-me sugerir uma modificação protocolar: daqui para a frente, contratualizem com os clubes em causa cláusulas castradoras. Redijam acordos que blindem a utlização de jogadores emprestados e, já agora, que obriguem os clubes em causa a perder os duelos directos connosco. Não tenham problemas de consciência. O FC Porto e o Benfica fazem-no há anos.
Caso contrário, teríamos tristemente de concluir que seria mais proveitoso emprestar os jogadores excedentários a clubes de divisões secundárias portuguesas ou espanholas. É uma solução brutal – acusarão os leitores mais sensíveis. É verdade. Mas, ao longo do curso da história, o destino dos sensíveis e moralmente equilibrados foi sempre o mesmo: foram esmagados pelos brutos e irracionais. Como eu.

8 Comments:

At domingo, 02 abril, 2006, Anonymous Jay Jay Okochadisse...

Tenho impressão k este post nasce da frustração de teres visto ontem o Paíto arrancar uma exibição como ele nunca fez no Sportém

 
At domingo, 02 abril, 2006, Blogger roastoutdisse...

Foi isso e os lampiões no slb-guimaraes todos borrados de cada vez que ele pegava na bola.

 
At segunda-feira, 03 abril, 2006, Blogger Rantasdisse...

Jay Jay,
Não te estarás a esquecer do Benfica-Sporting do ano passado, para a Taça? Aquela malfeitoria que o Paíto fez ao Luisão?

 
At segunda-feira, 03 abril, 2006, Blogger NMBdisse...

Por feio que seja: se não os podes vencer, junta-te a eles!

Se te é proíbido acordar cláusulas impeditivas nos contratos, que se faça uma de duas coisas (i) não se emprestem jogadores a clubes que connosco compitam directamente, e/ou (ii) que se acorde nesse sentido, em off e com pessoas de palavra.

De resto, juntamente com a tristeza de ver Paíto jogar como jogou contra nós - sem surpresa, mas nada podemos fazer se o rapaz não quer renovar e prefere o FêCêPiê - as últimas semanas trouxeram-me mais uma alegria motivada por um empréstimo...

O Senhor Petit - que sempre tolerou, quiçá com gosto, a alcunha Pitbull - foi MORDIDO por um jogador emprestado pelo Sporting.

Assim sim, perdoo-te a exibição que fizeste contra nós.

Sporting sempre!

 
At segunda-feira, 03 abril, 2006, Anonymous Anónimodisse...

U Kocho, o melhor empréstimo foi o do fdp do Pedro Henriques no Restelo. Três penalties a custo zero. Nem na Cofidis se empresta de borla.

 
At segunda-feira, 03 abril, 2006, Blogger MMSdisse...

Em abono da verdade, o benfica autorizou a utilização de jogadores emprestados este ano (recordo-me de manu e amoreirinha do estrela da amadora). Mas compensaram isso com a política de contratações da "escola pinto da costa" reflectida nos seguintes factos (i) contratação de manduca na semana do jogo com o marítimo, (ii) contratação de fonte e moretto na semana do jogo com o vitória (iii) empréstimo do mesmo fonte ao paços de ferreira na semana do jogo com... adivinhem quem?

 
At segunda-feira, 03 abril, 2006, Blogger MMSdisse...

Uma clarificação: fizeram-no na semana imediatamente seguinte (não na anterior) ao jogo, mas é claro que a negociação ocorreu antes...

 
At quarta-feira, 05 abril, 2006, Anonymous Apredisse...

Eu tb estou escaldado com os emprestados concordo com as blindagens propostas.

 

Enviar um comentário

<< Home