Mãos ao ar

Blogue de discussão desportiva. Qualquer semelhança entre este blogue e uma fonte de informação credível é pura coincidência e não foi minimamente prevista pelos seus autores. Desde já nos penitenciamos se, acidentalmente, relatarmos uma informação com um fundo de verdade. Não era, nem é, nossa intenção.

quarta-feira, janeiro 04, 2006

Um Colossal Manguito

Admito que sou muito tradicionalista e cioso das regras. Para mim, não faz sentido conceber as Doce sem o Reinaldo; a Festa do Avante sem o Janita Salomé; ou uma peça de teatro na Cornucópia onde se percebam todas as deixas e a acção decorra com nexo.
A tradição diz também que uma orgia só pode ser tida como tal se envolver pelo menos seis pessoas. Menos do que isso, terão paciência, não é uma orgia. É mera excentricidade.
As tradições são para cumprir, repito. Da mesma forma, subscrevo a tradição assente no elo insubstituível de confiança entre um clube e os seus jogadores. Quando um jogador quebra unilateralmente o seu vínculo ao clube, essa confiança estilhaça-se em mil pedaços, como uma área de serviço depois da paragem do autocarro dos Superdragões. Nem unguentos nem cola industrial repõem a firmeza da confiança desfeita em cacos.
Marco Caneira é um profissional de futebol de eleição. Já o era nos escalões de formação do Sporting. Com 16 anos, sagrou-se campeão europeu de sub-16. Estreou-se aos 17 anos na primeira equipa do Sporting, já talhado para uma grande carreira.
Aconselhado pelo aranhiço medonho que infestava então grande parte dos jovens profissionais do Sporting e Benfica (ler Paulo Barbosa), Caneira rescindiu unilateralmente o seu vínculo em 1998. Fê-lo, certo de que a indemnização a pagar ao clube formador seria sempre compensadora para qualquer emblema que o acolhesse. Escolheu a cama em que se quis deitar. Com as vantagens e inconvenientes associados à opção.
Ver e ouvir Caneira de regresso ao Sporting é um golpe terrível para tradicionalistas como eu, conservadores puros, daqueles, repito, que renegam as orgias se elas não incluírem seis elementos e pelo menos um bovídeo. De uma penada, o Sporting arrumou o diferendo com o jogador e com o empresário, encaixotando-o no baú das histórias ultrapassadas. Fez tábua rasa da opção mercenária do defesa. O que é uma pequena traição entre amigos, pois se o rapaz até é sportinguista?
Terão paciência os dirigentes da SAD, mas abriram-se perigosos precedentes com este gesto conciliatório. Para todos os jovens jogadores da Academia foi transmitida a mensagem de que uma rescisão unilateral não é necessariamente o beijo da morte do clube leonino. Se Caneira foi aceite (e ainda por cima, por seis meses e para dar força à carreira do menino, agora em risco de perder o Mundial da Alemanha), está aberta a porta para o regresso de todos os renegados. Do Paulo Santos ao Paulo Costa, passando pelo Alhandra e outros que tais, será um fartar vilanagem. Quem sabe se não reabilitam também o Futre e lhe oferecem a outra face?
Se eu tivesse um assobio estridente, seguramente que o Marco Caneira poderia contar com pelo menos um contestatário permanente no Estádio José Alvalade. Como não tenho, limito-me a fazer-lhe um colossal manguito por ondas hertzianas. A ele, ao empresário e ao urso do Carlos Freitas, que tarda em desamparar a loja! Os jornais enganaram-se: a estalada da semana não ocorreu no aeroporto da Portela. Foi dada em Alvalade e foi mesmo em cheio na face do leão!

11 Comments:

At quarta-feira, 04 janeiro, 2006, Anonymous tabordadisse...

respeitável Leão,

De acordo com tudo o que foi dito com excepção de dois pontos: o convite ao assobio e a referência ao C. Freitas.
Assobios e manguitos reservam-se para adversários. Nunca para os sapos, por maiores que sejam, que somos forçados a engulir. Então nós que já deglutimos Carlos Manuel, Gomes, Jardel e (cruzes canhoto) João Pinto (entre outros de menor escala).
E digo isto apesar de ter deixado de comer Leitão de Negrais porque o pai do Caneira é o maior produtor deste pitéu (graças ao regresso do Caneira vou matar a barriga de misérias).
Quanto ao C. Freitas não vejo que esteja a ser menos capaz do que outros com mais responsabilidades e bem mais acima na estrutura.
Quanto ao resto, tudo de acordo.

Taborda
Conservador e Leão dos 7 Costados

 
At quarta-feira, 04 janeiro, 2006, Blogger El Ranysdisse...

O Caneira, quando rescindiu com o Sporting, tinha 17 anos. Repito, 17 anos. Entretanto, passou por vários clubes, casou, foi pai duas vezes. Uma das filhas morreu. O Caneira cresceu. É, hoje em dia, creio, um homenzinho. O treinador e o presidente do Valência fizeram, nos últimos dias, tudo por tudo para que o Caneira desse o dito por não dito e, afinal, já não viesse para o Sporting. O Caneira não cedeu e vai ser, durante 6 meses, o melhor jogador da defesa do Sporting (a par, talvez, com Tonel).
Aqui, o que me espanta mais é os responsáveis do Sporting continuarem a falar com o grande responsável pela rescisão do Caneira, o Paulo Barbosa, esse asco de homem. Tal como me espanta que ainda falem com Gilmar Veloz, nitidamente a "fonte" de todo o ruido à volta de Liedson, por exemplo. Alguns empresários não respeitam o Sporting e os dirigentes do clube continuam a falar com eles de mansinho. É isso que me custa.
Por mim, Caneira é bem vindo a Alvalade. É um "regresso a casa" de um grande jogador. Que fez asneira quando tinha 17 anos, é certo, mas que, a partir do momento em que volta a vestir o nosso "jersey", passa a ser, de novo, um dos "nossos".
O que me irrita mesmo é que, na primeira entrevista, Caneira tenha logo dito: "espero jogar na minha posição natural, a defesa central" e "estou pronto para liderar a equipa". Aqui sim, começou muito mal. Caneira, vais jogar a defesa direito. E o líder da equipa chama-se Paulo Bento. Tudo o que tu possas ser, nestes seis meses, é dentro do campo, e não nas folhas dos jornais. Entra com calma e modéstia, e trabalha, trabalha muito. Afinal, como o Bulhão aqui diz e apesar do que eu disse, ainda estás em falta...

 
At quarta-feira, 04 janeiro, 2006, Blogger El Ranysdisse...

Vais jogar a defesa esquerdo, queria eu dizer...

 
At quarta-feira, 04 janeiro, 2006, Blogger Guitarristadisse...

Não tenho nada a ver com isso, estas são contas verdes, não das minhas. Mas tenho que concordar com o Bulhão. Em clubes desta dimensão há que mostrar que o símbolo, os sócios e a história estão acima de qualquer jogador, seja ele quem for, por melhor que seja. Se eu vir um dia, por exemplo, o Hugo Leal volar a vestir a camisola do Benfica, sentirei idêntico soco no estômago. Os jogadores têm que saber comportar-se, ter maneiras e respeitar os clubes que representam. Aliás, quando não o fazem, normalmente dão-se mal (mais cedo ou mais tarde, temos os tais craques em clubes de segunda - é habitual). O caso do Caneira parece ser excepção desde o início: sai do Sporting, dá-se bem em Itália, vem para o Benfica, sai para o Bordés, aterra em Valência... e regressa ao Sporting. E eu acho que o clube devia aqui dar o exemplo e afirmar, peremptório, "nunca trairás a camisola que vestes!". Mas não: "relança-lhe a carreira". Para quê? Não me digam que não havia no mercado melhores centrais para virem cá fazer um perninha... Se os dirigentes leoninos não respeitam o clube e não o fazem respeitar, deviam ser os sócios a impor-se e, seguindo o exemplo bulhónico, a fazer manguitos intensivos ao Caneira. A não ser que já estejam habituados ao despeito - com tanto Liedson, Rochemback, Beto, etc., se calhar já tudo se encara de ânimo leve. Mas, adiante. Este moralismo é barato e, como disse, a causa é vossa, não minha.

 
At quinta-feira, 05 janeiro, 2006, Blogger Ruidisse...

Caneira interessa técnicamente, para ajudar o Sporting a ser Campeão esta época?

Venha o homem.

No final da época vai á vida, nós reformulamos a defesa e está o caso resolvido.

 
At quinta-feira, 05 janeiro, 2006, Anonymous Anónimodisse...

Sim, o Caneira é um excelente jogador. Sim, a perspectiva de ver o trio maravilha Polga-Hugo-Tello naquela defesa tira o sono a uma preguiça.
Mas começa a chatear-me esta imagem de clube de porreiraços, que atura toda a espécie de baldas dos seus jogadores e agora de até se dispõe a servir de retiro temporário - o Caneira nem sequer disfarça - a quem prejudicou o clube no passado. Não assobio jogadores do Sporting por princípio, sou capaz de alinhar no teu manguito virtual!

 
At quinta-feira, 05 janeiro, 2006, Anonymous Jay Jay Okochadisse...

O Caneira ainda vos vai salvar a pele. De moralistas está o inferno cheio. E a Segunda Divisão também.

 
At sexta-feira, 06 janeiro, 2006, Anonymous Apredisse...

Bem prederam a façe mas por um bom jogador, acho bonita a indeignação, mas choca-me mais a indisciplina do Polga e Deivid a chegarem atrasados (habito leonino), acho que esses é que deviam ter uma espera de meia duzia de capangas no Aeroporto!

 
At sexta-feira, 06 janeiro, 2006, Anonymous Ubualdo Chóriçadisse...

Apesar da lamentável orientação clubística perfilhada pelo signatário do post, não posso deixar de lhe manifestar o meu apreço pela defesa dos princípios por ele aqui expressos, pelo seu particular sentido de humor e, sobretudo, pelo respeito pela língua pátria, tão raro de encontrar em comentadores da blogosfera.
Ainda assim, cumpre-me assinalar ao estimado (apesar de sportinguista) Bulhão que o putativo manguito que pretende ofertar ao Caneira via internet não poderá ser veiculado por ondas hertzianas, a menos que alguma (r)evolução tecnológica recente tenha ocorrido sem o meu conhecimento.
Saudações benfiquistas

 
At sexta-feira, 06 janeiro, 2006, Blogger manolodisse...

Fiquei indignado com a saída do Caneira e mais outros dois (Paulo Costa e Alhandra). Não gostei particularmente de "aceitarei ser líder!". Mas não alinho no manguito blogosférico. Agora, é o Caneira que espero, ganhe a titularidade no Sporting e na nossa selecção (preferencialmente a lateral esquerdo, mas) para ajudar a sermos campeões.

 
At sábado, 07 janeiro, 2006, Anonymous Juvenenodisse...

O que mais me custou da saída do Caneira, que era o único sportinguista daquele trio, foi ter-se deixado levar pelo mafioso do Paulo Barbosa, que agora, via Carlos Freitas, voltou a trabalhar com o Sporting.
Quanto aos lampiões moralistas que por aqui aparecem em defesa de nada, aconselho-os a ir vender rifas ao Algarve para salvar o Estoril, porque o Alverca do "Khadafi" infelizmente já foi. Quanto às "ajudas" dos lampiões ao V.Setúbal, acho que ainda temos que voltar a falar deste assunto daqui a uns tempos.
E só não falo mais porque tenho medo de passar pelo aeroporto e estar lá o "primo" do ex-presidente da Casa do FCPorto no Luxemburgo e a polícia não me poder defender.

 

Enviar um comentário

<< Home