Mãos ao ar

Blogue de discussão desportiva. Qualquer semelhança entre este blogue e uma fonte de informação credível é pura coincidência e não foi minimamente prevista pelos seus autores. Desde já nos penitenciamos se, acidentalmente, relatarmos uma informação com um fundo de verdade. Não era, nem é, nossa intenção.

quarta-feira, janeiro 11, 2006

O Escolhido

Numa das épocas em que joguei basquetebol (em clube que prefiro omitir ao abrigo do Programa de Protecção de Testemunhas), havia dois candidatos para a posição de poste-baixo. Um era uma máquina de treino. Chegávamos ao pavilhão e ele já lá estava, equipado, a treinar mecanicamente. Era sempre o último a sair, cioso de um último lançamento, um último movimento que podia ser aperfeiçoado. Repetia exaustivamente todos os movimentos, treinava no limite, fiel à máxima de que é sempre possível melhorar graças ao treino.
O outro candidato ao lugar era praticamente o oposto. Faltava aos treinos, corria pouco e mal, realizava apenas os exercícios que lhe interessavam e troçava do treino colectivo. Em competição, porém, o “Baldas” (chamemos-lhe assim) era imprescindível. Toda a criatividade da equipa nascia da sua intervenção. Era o melhor marcador e o melhor ressaltador. Maldizíamos o destino, que distribuíra tão mal o talento, mas agradecíamos à fortuna que este homem jogasse na nossa equipa.
Chegado o fim de semana, adivinhem quem jogava… Naturalmente, o Baldas.
Escuto repetidamente vozes irritadas com Liedson, sobretudo desde as férias prolongadas do brasileiro em 2004. Seguramente que Liedson não é o jogador que melhor treina no plantel. Não é o mais dedicado, nem o mais profissional. Não é solidário com a equipa e tem o mesmo respeito pelos colegas que Luís Filipe Vieira dedica à gramática. Ou José Veiga ao código penal. É, pois, de enorme injustiça que seja Liedson o escolhido invariavelmente para jogar. Porém…
O futebol não se move por imperativos morais de justiça, nem por uma cadeia de mérito. Se querem ser premiados pelo mérito, alistem-se na função pública! (Estava a brincar. Mérito e função pública são contradições de termos).
O futebol, dizia, nem sempre é justo. Não ganha aquele que mais corre ou que mais remata. Da mesma forma, quando selecciona o seu onze, um treinador não deve apenas incluir aqueles que melhor treinam, que mais se sacrificam, que mais merecem. Até o pode fazer, mas arrisca-se a ser o profissional mais injustiçado da fila de inscritos do Centro de Emprego do seu bairro.
A verdade é esta: Liedson tem de jogar neste Sporting. Em 101 jogos pelo clube, o brasileiro já marcou 66 golos em todas as competições. Vou repetir o número para se aperceberem da sonoridade do feito: 66. Jardel marcou apenas mais um. Paulinho Cascavel não passou dos 49.Balakov quedou-se pelos 59. Iordanov parou nos 70. Barbosa apontou 51. Acosta, o matador, marcou 49. Atentem na estatística, amigos: quando passar os registos de Jardel e Iordanov, Liedson terá pela frente apenas os 81 golos de Jorge Cadete, também eles alcançáveis em mais alguns meses de competição. E terá realizado bem menos jogos do que os 203 do guedelhudo avançado.
Liedson, o artista; Liedson, o chico-esperto; Liedson, o Baldas, prepara-se para se tornar o melhor marcador do Sporting desde que Manuel Fernandes pendurou as botas. E creio que mesmo o mais rezingão critico do brasileiro reconhece que o molde que fez o Manel está irremediavelmente partido.
Mais vale, por isso, aproveitar o que há na dispensa e fazer orelhas moucas àqueles que, dos púlpitos de outros clubes, pedem um castigo exemplar para o brasileiro. Liedson é o escolhido deste Sporting do século XXi.
É injusto? Seguramente. Mas lembrem-se: no dia do jogo, entre o “Baldas” e a “Máquina de treino”, eu escolho o “Baldas”. É que eu gosto de ganhar…

11 Comments:

At quarta-feira, 11 janeiro, 2006, Anonymous Pedro A20'sdisse...

Concordo plenamente Bulhão! Não nos podemos queixar na entrega do Levezinho dentro do campo. É talvez o jogador que corre mais Kilómetros durante o jogo sendo também o primeiro a procurar a recuperação de bola. Já deviamos era ter renovado com ele!

 
At quarta-feira, 11 janeiro, 2006, Anonymous Jay Jay Okochadisse...

Mas porque é que, para escreveres sobre o Sporting, tens de falar no Benfica? Porra. Deixa-nos em paz. Campeões somos nós. SLB4ever.

 
At quarta-feira, 11 janeiro, 2006, Anonymous Cocasdisse...

Eles hádem de cá virem que nós não somos povo da solidaridade, póssamos ou não ter o Rui Costa, quem vier a seguir morre.

E nuguum puru u Bunfuca! E nungum puru u Bunfuca!


PS: É urgente alterar o mapa do metropolitano de Lisboa para uma melhor e eficaz utilização.

Luz/ Jardim Zoológico

Colégio Militar/ Sete Rios

 
At quarta-feira, 11 janeiro, 2006, Blogger Briggite Bardotdisse...

Nem mais. Mesmo nos seus jogos menos inspirados o levezinho justifica a escolha.

 
At quarta-feira, 11 janeiro, 2006, Anonymous Anatolydisse...

Hoje não concordo contigo. O Liedson já se portou muito mal com o Sporting. Deveria ter sido vendido no Verão passado.

 
At quarta-feira, 11 janeiro, 2006, Blogger Pedro Nogueiradisse...

Deviamos abrir um movimento-"Liedson renovem-lhe o contrato". Senão daqui a dois anos está no Dragão ou pior. Não estou a exagerar. Olhem para o Quaresma.
Saudacões leoninas
Pedro Góis Nogueira

 
At quarta-feira, 11 janeiro, 2006, Blogger Apredisse...

Nem mais, mas sempre podiam arranjar meia duzia de capangas para o pôe um pouco mais na linha dos treinos.

 
At quinta-feira, 12 janeiro, 2006, Anonymous Anónimodisse...

O problema nao e o Liedson treinar pouco, o problema e a indisciplina, isso tem resultados na equipa muito prejudiciais, como vimos na ultima epoca e ja nesta.
Tem a agravante de contaminar outros jogadores como vimos agora.
Por isso tem que se serinflexivel nesse ponto.

 
At quinta-feira, 12 janeiro, 2006, Blogger Lars o Kirkdisse...

Por favor, diz-me o que andas a tomar. É que tenho estado a escrever artigos e preciso de semelhante inspiração...

 
At sexta-feira, 13 janeiro, 2006, Blogger manolodisse...

Tomara termos mais 10 Liedsons, cada qual no seu sector. É o melhor avançado em Portugal. Comparável em agilidade ao Pelé, em instinto e antecipação nunca vi ninguém como ele. Mas demonstre respeito pelo Sporting, que obviamente é mais importante que ele.

 
At sábado, 14 janeiro, 2006, Blogger paparucodisse...

Concordo em absoluto e reforço referindo algo que não referiste. É que o levezinho não é daqueles "passem-me lá a bola que eu resolvo". Não. Liedson é simultâneamente dos que mais trabalha em campo. O único problema é o contrato. E se fomos tão céleres a criticar o "atraso" das férias, há que reconhecer em nome da mais elementar justiça, que o contrato dele já devia ter sido revisto há séculos. É incompreensível que um jogador com esse rendimento e o "peso" que tem, ganhe menos que os 3 GR da equipa...

 

Enviar um comentário

<< Home